Cadastrar/Entrar

A importância do tráfego orgânico


Lupa de pesquisa de SEO

Se você trabalha com marketing digital há algum tempo já deve ter ouvido dizer que o tráfego pago é melhor que o orgânico, pois gera resultados mais rápidos. Isso é verdade, porém existem alguns "preços" a pagar por isso.

O que é tráfego orgânico?

Antes de esclarecer a minha afirmação acima e de mostrar a importância do tráfego orgânico, precisamos entender o que afinal é tráfego orgânico.

O tráfego orgânico é composto de visitas geradas organicamente (você não precisa pagar para que seu site e posts apareçam para seus possíveis clientes), vindas de plataformas e sites de busca como o Google.

O Tráfego orgânico é classificado como tráfego gratuito, aquele no qual você não precisa investir dinheiro, e essa classificação é errônea. Existe investimento em tráfego orgânico sim, porém são investimentos indiretos como veremos mais adiante.

O tráfego gerado organicamente não é cobrado por CPC (custo por clique) ou CPM (custo por mil impressões) como por exemplo no Adwords ou no Facebook ADS e não importa se você receberá uma visita ou um milhão de visitas orgânicas, nenhuma plataforma ou site de busca lhe cobrará por isso, daí a ideia de que ele é gratuito. Mas por que afinal ele não é gratuito?

Investimentos em tráfego orgânico

Existem diversos investimentos em tráfego orgânico que são ignorados pela maioria das pessoas, os principais são:

  • Custos de produção do conteúdo (salário do redator ou pagamento de freelas);

  • Custos de servidores para manter o conteúdo;

  • Tempo. Tempo é dinheiro e você gastará um bom tempo pesquisando sobre o assunto, montando pautas, atualizando o conteúdo, respondendo comentário…

Obviamente que esses custos diluídos ao longo do tempo e das visitas e resultados que esse conteúdo trará, tornam-se irrisórios quando comparados ao tráfego pago, mas ainda assim precisam ser levados em consideração.

Tráfego pago ou orgânico?

Voltando à afirmação no início desse texto, muitos anunciantes preferem fazer tráfego pago pelos resultados mais rapidamente gerados e sim, isso é verdade.

Uma vez configurada e aprovada uma campanha, os resultados podem começar a ser gerados em minutos e isso é fantástico, principalmente para empresas e profissionais que precisam gerar faturamento, mas existem riscos e incômodos em se depender somente de tráfego pago. vejamos:

  • Gerenciamento constante: Você precisará acompanhar suas campanhas o tempo todo, muitas vezes em tempo real. Seus anúncios precisarão ser renovados frequentemente. Seus custos precisarão ser controlados de perto para manter a lucratividade… e se você não quiser ou não souber fazer isso, terá que contratar alguém ou uma agência para isso;

  • Tráfego limitado: Toda rede de anúncios possui uma limitação de tráfego, um teto que ao ser atingido não há como ultrapassar;

  • Altos custos: As plataformas de anúncios trabalham no sistema de leilão, isso significa que quanto mais anunciantes e quanto mais alto é o bid dos anunciantes existentes, mais caro ficará sua campanha. Em grande parte do tempo é perfeitamente possível gerenciar isso, mas em muitas ocasiões como proximidade de datas festivas (dia das mães, natal, dia das crianças etc), a concorrência aumenta e os custos podem ficar inviáveis.

  • Dependência do investimento: Tráfego pago é um investimento ativo, ou seja, você precisa investir o tempo todo. No momento em que você para de pagar por ele, seu tráfego cessa e seus resultados também.

Já no tráfego orgânico os resultados demoram algumas semanas ou até meses para começar a aparecer, mas uma vez que comece a gerar resultados, esse tráfego passa a ser "gratuito", ou seja, você não precisa pagar ativamente por ele, não tem preocupação com variações de CPC e CPM, não precisa ficar acompanhando em tempo real, e o principal: Enquanto as pessoas estiverem buscado pelo seu conteúdo, você terá tráfego chegando no seu site.

É um tráfego qualificado, "gratuito" e de longo prazo. Podemos chamá-lo de tráfego passivo.

Qual deles escolher?

Chegamos finalmente no título desse artigo. Se você leva o seu tráfego a sério ou é um profissional de marketing digital e quer ser respeitado como tal, jamais escolha apenas um dos lados.

A estrategia correta de geração de tráfego deve incluir tanto o tráfego orgânico quanto o pago. As duas vertentes têm seus prós e seus contras e se complementam, ou seja, se você desenvolver apenas uma delas, seu tráfego será capenga e é grande a chance de você ter problemas sérios em algum momento, principalmente se você investe somente em tráfego pago onde esses riscos são potencializados devido a uma possível falta de caixa para investimento, mudanças nas plataformas, aumentos nos custos etc.

Além disso há um outro fator que não pode ser ignorado que é o fato de grande parte dos consumidores serem impactados pelo tráfego pago e irem aos buscadores em busca de mais informações e se você não está presente no orgânico com conteúdos complementares, a chance de você perder a venda para um concorrentes é grande.

Você gerou a curiosidade, despertou a necessidade, pagou por isso e no fim a conversão ocorreu no site de um concorrente que organicamente respondeu as dúvidas do seu consumidor.

Conclusão

A conclusão é simples: Invista em tráfego pago e orgânico! Eles se complementam e devem estar presentes em uma estrategia profissional e sólida de obtenção de tráfego, mas dê uma atenção especial ao tráfego orgânico afinal ele gerará tráfego de longo prazo e com investimentos mínimos e além disso frequentemente realiza o trabalho de conversão junto ao cliente anteriormente impactado pelo tráfego pago.

Além disso o bom conteúdo orgânico e que gera realmente valor ao usuário, transformará os seus atuais e futuros clientes em fãs, cria conexão, gera confiança, indicações, compartilhamentos e… mais visitas orgânicas!

Você já investe em tráfego orgânico? Tem tido bons resultados? Deixe aqui se comentário e vamos debater o assunto.

Eu não tenho olho azul


Eu não tenho olho azul

Eu não tenho olho azul. Azar puro: na minha família até nasceram alguns felizardos, mas eu acabei contemplado com um par de olhos castanhos. Isso porque o que define o azul dos olhos é uma combinação genética pouco provável em um mundo cada vez miscigenado. Na maioria das vezes, a chance é pequena, isso quando ela existe. Mas o que toda essa genética está fazendo no blog da BMS? 

Tem gente que acha que o mesmo acontece com a criatividade. Se você der sorte, ela nasce com você. Caso contrário, esqueça: você nunca será criativo. Calma. Eles estão errados. Todo mundo nasce criativo. Sim, criatividade é uma capacidade humana. O problema é que, diferente dos olhos azuis, ela vai perdendo força quando você a deixa de lado. Por isso é normal sentir-se cada vez menos criativo quando nos acostumamos com uma rotina não criativa. Da infância até a fase adulta, cada vez mais calamos nossa capacidade de criar e nos acostumamos a repetir padrão. É bem confortável. Até a hora que precisamos ser mais criativos e... TRAVOU! Adeus, confiança criativa.

A notícia boa é que é possível retomar o pique, mesmo que sua última manifestação de criatividade tenha sido na escola. É uma capacidade sua, lembra? É só praticar.

Mas como?

Bom, essa é uma pergunta com diversas respostas. E várias delas estão no curso de CRIATIVIDADE PARA TODOS da Brasília Marketing School. Então aqui já vai a minha primeira dica de uma boa ideia: corra lá no site e faça sua inscrição. https://www.brasiliamarketingschool.com.br/cursos/criatividade-para-todos

Porquê capacitar-se em tempos de crise


A qualificação profissional sempre será um bom diferencial. E além dela, há mais detalhes importantes para que mesmo em tempos de crise, você se destaque no mercado de trabalho! Quem está sempre interessado e antenado, faz cursos de reciclagem e atualização, busca cursos novos de assuntos atuais ou mesmo aprofunda em temas já conhecidos. Os diferenciais de um currículo são sempre valorizados em uma seleção de trabalho.

Mas é em tempos de crise que os diferenciais são decisivos! Confira alguns aqui!

Capacitado em tempos de crise

1 - Esteja antenado às notícias e novidades de sua área

Em tempos de crise, uma empresa espera de seus futuros colaboradores (e inclusive dos atuais) mais proatividade, mais ideias. Estar atualizado sobre quais são os temas do momento, as oportunidades de negócio, análises de campanhas e cases, tudo isso conta bastante! Você pode propor novas linhas de produtos ou novas abordagens, reformulações e ideias novas.

Em momentos de crise as empresas vêem quem realmente está engajado e quem consegue se reinventar com o quê se tem! Mostre que você tem ideias fervilhando!

2 - Estude sobre Storytelling, Técnicas de Relacionamento e aposte no Digital

Em tempos de crise “vender por vender” assim como “comprar por comprar” não será mais tão aceitável, seja no ambiente digital, seja no off-line.  Ganha a venda e o cliente, a marca que souber ser de fato relevante para o público. E sobre relevância, há diversas possibilidades. Relacionamento é a peça-chave.

E para aprender sobre Relacionamento, tanto digital quanto off-line, invista em cursos relacionados, como CRMStorytelling, Marketing de Conteúdo, dentre outros (Tem curso na BMS! Clique Aqui!).

3 - Avalie: Pós-Graduação, EAD, ou cursos de curta duração?

Provavelmente você já tem uma formação acadêmica ou tecnóloga, agora precisa complementar e aprofundar em temas específicos. E provavelmente, em tempos de crise, você deseja se capacitar mais, porém, o orçamento curto é uma ameaça.

É o momento de buscar todas as opções de capacitação possíveis, e analisar uma a uma.

O quê compensa mais, trará mais resultados práticos à sua carreira e habilidades, no menor intervalo de tempo? Um MBA, uma especialização, um mestrado, um curso EAD ou cursos de curta duração com foco na prática (Já conheceu o pacote BMS Digital? Clique Aqui!)?

Pode ser o momento de você aprender a combinar essas opções de capacitação, entendendo as habilidades que você precisa melhorar, aprofundar ou adquirir. Os prós e contras dos cursos presenciais e à distância.

capacitado em tempos de crise 2

4 - Faça mais networking

Conheça as pessoas-chaves de sua área de atuação, e esteja onde elas estão. Compareça a eventos, congressos e palestras para atualizar-se dos assuntos, conhecer e reconhecer pessoas. Ser visto é ser lembrado! E num momento de vagas escassas, ser lembrado pode ser o primeiro passo para conquistar uma boa vaga!

Além disso, conviver nos ambientes e eventos da sua área profissional sempre trazem contatos novos e surpresas! Vale a pena apostar!

5 - Vá “Além do Óbvio”

Tanto nas tarefas diárias quanto na rotina de trabalho, procure fazer e pensar além do óbvio. Como uma espécie de “treinamento do olhar” para estar preparado para oportunidades, ou mesmo cria-las. Em tempos de crise são feitos cortes, mas abrem-se espaços para novas ideias. É o momento de usar a criatividade e atuar com o que se tem!

Quando lhe for proposto um exercício – seja na seleção de emprego, seja na rotina de trabalho – vá além do pedido, tente enxergar por trás e diferencie-se!

 

“Nossa vida profissional se assemelha a andar de bicicleta,
que só se mantém equilibrada enquanto pedalamos, se ela parar, caímos”
Adriano Corrêa Teixeira

--------------------------------------------------->