Cadastrar/Entrar
6 posts na categoria Marketing Digital.

Parabéns, você convertou leads em clientes! E agora?


Parabéns, você fez tudo certo, investiu em SEO, Adwords, Links Patrocinados, criou uma página de captura, trabalhou com Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo e converteu vários leads.

Eles são clientes e agora?

Agora entenda o perfil de um dos seus clientes, e antes de disparar uma campanha igual para clientes diferentes, crie segmentações para oferecer o produto certo para o cliente certo com a mensagem certa utilizando estratégias de Marketing de Relacionamento e CRM como cross sell, up sell, member get member, Fidelidade, Retenção e Recuperação.

O ideal é criar réguas de relacionamento e automatizá-las utilizando os canais utilizados na interação entre a empresa e seus clientes que pode ser e-mail, sms, push no mobile/aplicativo, display nas redes sociais, presencial, ATM no caso de uma instituição financeira ou um script para apoiar o atendimento receptivo ou ativo das PAs.

O importante é que todos que se relacionam com o cliente, independente do canal, tenham a Visão 360 para serem assertivos e tratarem o cliente de forma personalizada, sabendo com quem estão falando, produtos ou serviços adquiridos, produtos ou serviços que já pesquisaram, reclamações abertas no SAC, Ouvidoria, Reclame Aqui ou redes sociais para que nenhuma área ou colaborador da empresa “fique vendido” nessa interação que sempre pode se converter em uma nova oportunidade de negócio, relacionamento ou fidelização.

Falamos um pouco sobre réguas de relacionamento nesse artigo. Quer entender melhor o que são? Esse é o tema do próximo artigo.

Usabilidade no Marketing Digital


Já vai longe o tempo em que um site precisava apenas ter visual atrativo e receber o conteúdo. A evolução da linguagem da internet ocorre na mesma velocidade com que a informação circula. As transformações são rápidas, os usuários se tornam mais exigentes e os formatos se multiplicam. Hoje, a página para a web é criada levando em consideração sua exibição em diferentes tamanhos – do desktop e seu monitor gigante até a tela pequena de um smartphone.

Tamanha riqueza de elementos se submete a um princípio fundamental em qualquer site – a usabilidade. Esse conceito tem origem no design de produtos e foi incorporado à construção de páginas para a internet. Em linhas gerais, ele expressa o grau de facilidade com que o internauta consegue interagir com o site.

 

Foco no usuário 

Construir um site com usabilidade significa, em primeiro lugar, levar em consideração a experiência do internauta. O número de acessos, o tempo de navegação e o nível de interação com usuário são resultado da aplicação de regras para tornar intuitiva a navegação. Acessar a informação de forma direta e sem esforço significa respeito às normas de usabilidade.

Quando se fala em marketing digital, o conceito de usabilidade ganha ainda mais importância. A divulgação de um conteúdo depende diretamente da facilidade com que o internauta chega até ele. Elementos que potencializam a experiência de navegação tornam a mensagem ainda mais atrativa. Em compensação, qualquer obstáculo à livre circulação pelo site significa dispersão e perda de audiência.

Imagine o internauta que chega à página da ação de marketing de uma famosa marca e não consegue, por exemplo, se cadastrar para participar da promoção porque a navegação é confusa. Qual a probabilidade de retorno ao site? Zero! Em marketing digital, o usuário deve ser atraído rapidamente pela mensagem. Caso contrário, clica e segue para outro site.

Para não desperdiçar um conteúdo de qualidade e tornar o site adequado às normas de usabilidade, há cinco regras simples e que podem ser implementadas facilmente.

 

  1.        Arquitetura da informação

O internauta deve identificar imediatamente a que se refere o site. A forma de organização do conteúdo tem o poder de atrair ou afastar a audiência. A correta hierarquização da informação leva o usuário a encontrar intuitivamente aquilo que lhe interessa. Navegação sem esforço representa maiores chances de a mensagem ser assimilada pelo internauta.

 

  1.        Menos é mais

Um visual clean retém mais atenção do internauta do que um site repleto de cores, luzes e sons. Excesso de detalhes dispersa a atenção do usuário e o leva a abandonar a página. O design é um dos principais elementos para o sucesso de um projeto na internet. Por isso, esqueça gostos ou preferências pessoais e siga o projeto de programação visual elaborado por um profissional de programação visual especializado em internet.  Aposte na simplicidade e veja a audiência de sua página na web crescer.

 

  1.        Velocidade

Uma das mudanças geradas pela massificação da internet é a aceleração da percepção. Sites pesados são uma afronta aos conceitos básicos de acessibilidade. Em tempos de internet 4G, nenhum usuário aguarda o carregamento de uma página por mais de dez segundos. Antes de lançar oficialmente o site, faça testes de velocidade de carregamento. Se o tempo for superior ao padrão, reavalie todo o projeto – desde a programação web até o design, passando por análise do tamanho de imagens, vídeos e áudios.

 

  1.        Atenção com o conteúdo

A relevância do material que vai ao ar – texto, imagem, áudio e vídeo – é crucial para o sucesso de um site. Muitos se limitam a reproduzir conteúdos já publicados em outras páginas. Com o tempo, o usuário percebe a falta de material exclusivo e perde o interesse em acessar um endereço que  apenas “copia e cola” o que alguém já lançou. Investir em conteúdo original e de qualidade significa aumentar o número de acessos e se tornar referência para os internautas.

 

  1.        Tamanho faz diferença

Dados do Ibope apontam que o volume de acesso à internet por meio de dispositivos móveis (tablets e smartphones) já superou o registrado por desktops e laptops. Por isso, qualquer site deve ser criado com layout responsivo – aquele que adapta textos, fotos e ilustrações  ao tamanho da tela. Um site cujo conteúdo não aparece corretamente em mobile tende a perder audiência rapidamente. Para as páginas que apresentam vídeos, o cuidado deve ser redobrado, já que smartphones e tablets não reconhecem a linguagem flash – muito utilizada na publicação de filmes.

Hoje não é mais possível imaginar a internet sem levar em consideração os elementos de usabilidade. Cada site disputa a audiência com incontáveis concorrentes. Para sobressair nesse universo, ele precisa focar no internauta. É a experiência do usuário, em última instância, que atesta a qualidade ou reprova uma página na web.

Lidar com um ambiente em constante transformação como a internet é o desafio dos profissionais de marketing. A formação permanente e a atualização profissional se tornaram indispensáveis. Dessa forma, seminários, congressos e cursos de marketing digital atraem um público cada vez maior.

Você utiliza os conceitos de usabilidade em ações de marketing digital? A experiência do usuário influencia o seu trabalho de alguma forma? Deixe aqui o seu comentário!

10 tendências do Marketing Digital em 2015


Em uma área tão dinâmica como a internet, identificar tendências significa sair na frente da concorrência. Por isso, é bom ficar atento ao que vai ditar os rumos do marketing digital em 2015. Analistas apontam dez elementos que influenciarão as estratégias do setor. Prepare-se para aproveitar o que cada uma delas tem a oferecer.

 

1 – Mobilidade é tudo

BMS - Blog - 10 tendências do marketing Digital em 2015

A popularização dos smartphones veio para ficar. Com isso, ganha importância a preparação dos sites para a visualização em dispositivos móveis. O design responsivo deixa de ser uma possibilidade e passar à condição de “necessidade urgente”. Além disso, as marcas contratarão profissionais treinados e dedicados exclusivamente à criação de estratégias de marketing com foco em mobile. 

 

2 – Marketing pago

A mudança no algoritmo do Facebook reduziu a visibilidade das páginas de marcas. Quem quiser maior alcance terá que pagar por isso. A velha máxima “não existe almoço de graça” nunca esteve tão em moda.  LinkedIn e Twitter, duas outras redes sociais de peso, também oferecem versões pagas. Os gestores de marketing digital devem se preparar para utilizar com maior frequência o recurso do link patrocinado e saber que vão gastar mais com veiculação.

 

3 – Foco no conteúdo

 Nenhuma estratégia de marketing digital, por melhor que seja, terá resultado sem conteúdo de qualidade. Informação relevante conquista e fideliza clientes. Para isso, os textos devem ser curtos, diretos, personalizados e com emoção. Fotografias, vídeos e ilustrações seguem a mesma lógica. Neste cenário, a publicidade nativa recebe um forte impulso.

 

4 – Maior segmentação

As ações de marketing digital vão se caracterizar pelo aprofundamento da segmentação. Elas terão cada vez mais como foco pequenos grupos. Ganhará importância o processo de criação de personas.

 

5 – Liderança nas redes

 Apesar de todas as notícias sobre uma suposta perda de audiência, o Facebook se manterá na liderança das redes sociais digitais. Já o LinkedIn segue como principal referência em rede para B2B.

 

6 – Usuário na mira

Conhecer com profundidade o consumidor se coloca como um grande desafio para os gestores de marketing digital. As marcas precisam saber quais são as necessidades do cliente, o que ele espera de um produto e identificar os problemas enfrentados pelos usuários. Nesse sentido, cresce a importância do uso de ferramentas como o Google Analytics.

 

7 – Vida longa ao e-mail marketing

Ainda que sua morte tenha sido anunciada inúmeras vezes nos últimos anos, o e-mail marketing mostra que está mais vivo do que nunca e que se manterá como importante ferramenta de marketing digital em 2015. Estudos apontam que 70% dos consumidores abrem as mensagens enviadas por suas marcas preferidas. Mas a sobrevivência do e-mail marketing requer algumas mudanças. A primeira delas é o uso intensivo do marketing de conteúdo.

 

8 – Humanização das marcas

O consumidor deseja encontrar nas empresas um perfil humanizado. A chamada imagem institucional não conquista clientes. As marcas devem se envolver com seus fãs, seguidores em redes sociais e assinantes de newsletter, estabelecendo uma relação de proximidade.

 

9 – Big data

Informação virou sinônimo de poder. Com isso, o big data assume papel determinante na definição de estratégias de marketing digital. O acúmulo e a análise de grandes volumes de dados serão vitais para o sucesso das empresas com presença no mundo digital.

 

10 – Novos formatos

Criatividade seguirá como o grande diferencial entre as marcas. A utilização de banners com elevado grau de interatividade e o desenvolvimento de campanhas para públicos segmentados vão se consolidar como elementos indispensáveis nas ações estratégicas de marketing digital.

Você se lembra de outra tendência que não comentamos aqui? Compartilhe com a gente!

--------------------------------------------------->